Itália expulsa homem que era ligado ao terrorista de Berlim

ROMA, 13 MAI (ANSA) - A Itália expulsou neste sábado (13) um tunisiano de 36 anos por ter ligações com o terrorista Anis Amri, que realizou um ataque a um mercado de Natal em Berlim, em dezembro, matando 12 pessoas.   

De acordo com o governo, o homem "chamou a atenção em investigações, desenvolvidas pela Digos de Roma e de Catânia, por conta dos contatos tidos na Itália com o conhecido atirador de Berlim Anis Amri", diz em nota o governo.   

Amri, antes de morar por um período na Alemanha, era conhecido por ter morado na Itália e ter sido preso por delitos menores no país. O tunisiano foi morto por policiais de Milão ao tentar regressar ao território italiano após provocar o atentado.   

Essa foi a 42ª expulsão feita por motivos de terrorismo feita pela Itália em 2017. Desde janeiro de 2015, quando começou um acompanhamento mais forte sobre o tema, o governo já extraditou 174 sujeitos que tinham ligação ou tinham admiração por grupos terroristas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos