Alitalia publica edital de venda e inicia busca por comprador

ROMA, 17 MAI (ANSA) - A Alitalia, que está sob intervenção do governo da Itália, publicou nesta quarta-feira (17) o edital para sua venda.   

As empresas ou consórcios interessados em comprar a maior companhia aérea do país têm até o dia 5 de junho para se manifestar. Serão admitidas tanto ofertas nacionais quanto internacionais por todos os ativos da Alitalia ou apenas por uma parte deles, desde que os grupos sejam idôneos.   

O objetivo do governo é realizar um "programa de recuperação do equilíbrio econômico" da sociedade, que está sendo administrada por três comissários indicados pelo Ministério do Desenvolvimento: Luigi Gubitosi, Stefano Paleari e Enrico Laghi.   

Os executivos trabalham com a hipótese de receber as ofertas não vinculantes, ou seja, que não obrigam a compra por aquele preço, até o fim de julho.   

A Itália foi forçada a intervir na Alitalia, uma empresa privada, após a companhia aérea não ter chegado a um acordo com sindicatos para demitir cerca de 1 mil funcionários, inviabilizando um aumento de capital de 2 bilhões de euros.   

No entanto a crise financeira na empresa já se arrasta há anos e não melhorou nem com a entrada da Etihad Airways em seu capital societário. Os comissários foram nomeados para sanar suas contas e tentar encontrar um comprador - se isso não acontecer, a Alitalia pode entrar em falência.   

A União Europeia já aprovou que a Itália faça um empréstimo-ponte de 600 milhões de euros para ajudar a companhia pelos próximos seis meses - o dinheiro será recuperado pelo governo na conclusão de uma eventual venda -, mas até o momento ninguém deu indícios de interesse.   

Na última terça-feira (16), alguns gigantes da economia italiana negaram a intenção de participar do resgate, como a petrolífera ENI e o banco Intesa Sanpaolo. Além disso, o próprio governo descarta envolver alguma estatal - a mais cogitada era a Ferrovie dello Stato - no salvamento da companhia aérea.   

A alemã Lufthansa também já afastou essa possibilidade, mas continua cotada como uma possível compradora, assim como a irlandesa Ryanair e a britânica Easyjet, ambas de baixo custo.   

Ao menos por enquanto, a Alitalia continua operando normalmente, inclusive seus voos diretos para o Brasil. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos