Corte condena 4 por tragédia com 9 mortos no Porto de Gênova

ROMA, 17 MAI (ANSA) - O Tribunal de Gênova condenou nesta quarta-feira (17) o ex-comandante do navio Jolly Nero Roberto Paoloni a 10 anos e quatro meses de prisão pela tragédia de 7 de maio de 2013, quando sua embarcação se chocara contra a torre de controle do porto da cidade, matando nove pessoas.   

Também foram sentenciados o primeiro-oficial Lorenzo Repetto (oito anos e seis meses), o diretor de máquinas Franco Giammoro (sete anos) e o controlador Antonio Anfossi (quatro anos e dois meses).   

Os réus foram considerados culpados de diversos crimes, como múltiplo homicídio culposo, destruição de construção e atentado contra a segurança dos transportes - Paoloni também foi condenado por falsidade ideológica.   

Contudo as penas representam apenas a metade do que havia pedido a acusação, o que irritou os parentes das vítimas. "Assassinos, assassinos, vocês mataram nove pessoas, isso não acaba aqui", gritaram alguns parentes após o anúncio da sentença.   

"Acreditei na magistratura, mas estou decepcionada", acrescentou Adele Chiello, mãe de Giuseppe Tusa, um dos militares da Capitania dos Portos mortos na queda da torre de controle. Ainda cabe recurso.   

O acidente aconteceu às 23h de 7 de maio de 2013, quando o Jolly Nero manobrava para sair do Porto de Gênova rumo a Nápoles, acompanhado de dois rebocadores. No entanto a embarcação acabou se chocando contra a torre de comando, que tinha 54 metros, e a derrubando. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos