Temer ataca Joesley e pede suspensão de inquérito ao STF

SÃO PAULO, 20 MAI (ANSA) - O presidente Michel Temer pediu neste sábado (20) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão do inquérito aberto contra ele por corrupção, obstrução de justiça e formação de organização criminosa.   


Durante pronunciamento no Palácio do Planalto, o mandatário afirmou que a gravação divulgada após a delação premiada do empresário Joesley Batista, dono da JBS, é "clandestina e foi adulterada e manipulada com objetivos "subterrâneos", o que levou muitas pessoas ao engano e trouxe grave crise ao Brasil.   


"Ele cometeu o crime perfeito. Enganou os brasileiros e agora mora nos Estados Unidos. Quero observar a todos vocês as incoerências entre o áudio e o teor do depoimento. Isso compromete a lisura de todo o processo por ele desencadeado", ressaltou Temer.   


"Estamos entrando com petição ao STF para suspender o inquérito proposto até que possa ser verificada a autenticidade da gravação", acrescentou.   


Temer falou ainda sobre a impunidade contra Joesley, que segundo ele "está livre e solto, andando pelas ruas de Nova York". "Ele não passou nenhum dia na cadeia, não foi preso, nem julgado, nem punido e pelo jeito que está não será", afirmou.   


Na última quinta-feira (18), o chefe de Estado fez um rápido pronunciamento para rebater as acusações feitas nas delações de Joesley Batista, dono da JBS, que realizou pagamentos de propina para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, e afirmou que não renunciaria ao cargo de presidente.   


Ontem (19), porém, novas acusações surgiram contra Temer e o agravamento da crise política fez com que diversos aliados o pressionassem. De acordo com a defesa do peemedebista, a investigação não pode prosseguir enquanto a validade da gravação não for avaliada. Em nota, o Palácio do Planalto alegou inocência de Temer. "A acusação não procede e o diálogo do presidente com o empresário Joesley prova isso".   


A decisão é uma tentativa para postergar o avanço da investigação e contestar a legalidade da gravação. Desde o início da manhã de hoje, Temer estava reunido em Brasília com seus principais auxiliares. "O Brasil não sairá dos trilhos. Eu continuarei à frente do governo", finalizou Temer. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos