Trump recorre ao Supremo para barrar imigrantes de 6 países

NOVA YORK, 2 JUN (ANSA) - A administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recorreu à Suprema Corte para liberar o decreto que proíbe a entrada de imigrantes de seis países - majoritariamente muçulmanos - no país, informou o Departamento de Justiça na noite desta quinta-feira (1).   

"Pedimos à Corte Suprema para ocupar-se desse caso e estamos confiantes que o decreto do presidente Trump será bem considerado no que tange seus poderes legais para tornar o país mais seguro e proteger as nossas comunidades do terrorismo", informa o comunicado.   

Segundo o documento, a "Constituição e os atos do Congresso" dão uma "ampla autoridade" ao presidente e que por isso "não devem ser admitidas pessoas de outros países que patrocinam ou protegem o terrorismo".   

A decisão de proibir a entrada por 90 dias de pessoas vindas do Irã, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen foi anunciada logo após o início do mandato de Trump, mas foi proibida diversas vezes em instâncias menores da Justiça dos EUA.   

Além de proibir a entrada desses seis países - o Iraque foi retirado da lista por conta de sua parceria militar - o decreto impede o recebimento de refugiados por 120 dias de qualquer nacionalidade. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos