Procuradoria pede calma em inquérito sobre 'pânico de Turim'

ROMA, 5 JUN (ANSA) - A procuradoria de Turim afirmou nesta segunda-feira (5) que ainda não localizou suspeitos durante a investigação sobre a confusão provocada na praça San Carlo, em Turim, onde a torcida da Juventus se reunia para assistir à final da Liga dos Campeões da Europa, no último sábado (3).   

Segundo o promotor Armando Spataro, para descobrir as causas e possíveis responsáveis é "necessário antes de tudo reconstruir a dinâmica precisa dos fatos", explicou. De acordo com os dados da Província de Turim, 1.527 indivíduos foram atendidos após o pânico coletivo, a maioria com ferimentos leves.   

"Temos feito muito mais do que já fizeram antes, inclusive antes da partida da Liga dos Campeões com o Barcelona. Agora estamos refazendo toda a situação, em particular para compreender os motivos desta tragédia, que é definida pelo alto número de feridos. Estamos acompanhando de perto a situação dos mais graves", explicou Angelo Sanna, investigador de Turim.   

De acordo com a investigação, "neste momento a prioridade é descobrir o que aconteceu, por que aconteceu e encontrar os eventuais responsáveis". acrescentou Sanna afirmando que "a multidão entrou em pânico e pensou que fosse um ataque terrorista".   

A procuradoria da República na capital do Piemonte abriu um inquérito para apurar as causas da confusão, mas até o momento há duas suspeitas. A primeira é de que o barulho e o susto provocados pela queda da grade da escada de um estacionamento subterrâneo na praça San Carlo tenha gerado o corre-corre.   

A segunda é de que o pânico tenha sido deflagrado por rojões disparados acidentalmente, embora os vídeos que mostram o momento do incidente não tenham revelado nenhum barulho de foguete.   

No entanto, segundo as autoridades, um homem sem camisa portando uma mochila foi visto nas filmagens supostamente iniciando o pânico. Porém, após as análises e relatos de fontes, foi confirmado que o indivíduo estava bêbado e abrançando os amigos.   

Nesta segunda, o goleiro da Juventus, Gianluigi Buffon, aproveitou para prestar homenagem às vítimas da confusão. "Os acontecimentos de Turim nos afetou muito, no início não tinhamos sido informados, mas todos nós sentimos grande tristeza e pesar", declarou.   

O caos aconteceu durante a festa dos torcedores da Velha Senhora, que geralmente constumam se reunir na praça para festejar títulos do clube. No entanto, a Juventus perdeu a disputa da final da Liga dos Campeões para o Real Madrid por 4 a 1. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos