TSE define futuro político de Dilma e Temer nesta semana

SÃO PAULO, 5 JUN (ANSA) - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retoma o julgamento nesta terça-feira (6) contra a chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer nas eleições de 2014, em processo que pode tirar os direitos políticos da ex-presidente e afastar o atual mandatário do cargo.   


Para a votação, a segurança foi reforçada no entorno e no interior do prédio do TSE para evitar possíveis tumultos. Já a checagem interna dos participantes, já que a sessão é pública e aberta para até 240 pessoas, também será feita.   


O julgamento havia sido iniciado em abril, mas foi interrompido após o pedido de inclusão de mais testemunhas, como os marqueteiros da campanha, João Santana e Mônica Moura. Dessa vez, estão programadas sessões para os dias 6, 7 e 8, sendo que no último dia haverá duas sessões - uma de manhã e outra à noite.   


No entanto, há a possibilidade do processo ser paralisado novamente por conta de um pedido de vistas no caso, já que dois novos ministros assumiram seus cargos no meio do julgamento.   


O processo foi iniciado logo após as eleições de 2014, em pedido da chapa derrotada, que era do PSDB, por conta de irregularidades como o recebimento de dinheiro vindo de propina da Petrobras, que já era alvo de investigação na Operação Lava Jato.   


Como Dilma já foi afastada da Presidência, contra ela, a condenação pode ser a perda dos direitos políticos. Já Temer pode ser retirado do cargo por conta de uma eventual condenação, mas não deve perder os direitos políticos nesse julgamento. No entanto, após a sentença, os dois ainda podem recorrer no próprio TSE e para o Supremo Tribunal Federal. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos