Brasileiro vira 1º negro na guarda do presidente da Itália

ROMA, 13 JUN (ANSA) - Um policial de 27 anos e origem brasileira se tornou o primeiro negro na história a fazer parte do Regimento Corazzieri, uma força especial da Arma dos Carabineiros que tem como objetivo proteger o presidente da Itália.   

O jovem, identificado apenas com as iniciais N.T., ganhou destaque na imprensa local no último sábado (10), quando trabalhou no encontro entre o papa Francisco e o chefe de Estado do país, Sergio Mattarella, no Palácio do Quirinale, a sede da Presidência da República, em Roma. Na ocasião, ganhou até um sorriso do líder católico.   

A vida do policial é considerada uma história de conto de fadas com final feliz: nascido no Brasil, em 1990, ele foi adotado com a irmã por uma família italiana e cresceu e estudou na Sicília, no sul do país. Seu sonho era entrar para o Regimento Corazzieri, a mais antiga e prestigiosa unidade das Forças Armadas da Itália, fundada em 1557.   

O desejo foi concretizado no último dia 5 de junho, quando o brasileiro estreou seu uniforme, que inclui um imponente elmo com rabo de cavalo, na Festa da Arma dos Carabineiros. Para entrar na guarda de elite do presidente, é preciso ter mais de 1,90m de altura, excelente disciplina e uma "indiscutível moralidade pessoal e familiar".   

Também é necessário cavalgar com perfeição e ter resistência física para suportar longos períodos em pé e imóvel. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos