Greve nos transportes gera caos por toda a Itália

ROMA, 16 JUN (ANSA) - Sindicatos realizam nesta sexta-feira (16), em pleno feriado de Corpus Christi, uma greve de 24 horas na rede de transportes da Itália.   

A paralisação atinge ferrovias, serviços de ônibus e aeroportos por todo o país e complicou o trânsito em suas principais cidades. Segundo as organizações sindicais, a greve é um protesto contra as privatizações no setor.   

Em Roma, a Prefeitura suspendeu as restrições ao tráfego de automóveis na região central, que ficou lotada de veículos. Já em Veneza convive com problemas na Piazzale Roma, o último ponto aonde é possível chegar de carro no centro histórico da cidade.   

Geralmente, as pessoas preferem o trem para viajar entre a terra firme e a Lagoa de Veneza, mas o serviço ferroviário no município não funcionou nesta sexta, gerando um excesso de automóveis na Piazzale Roma.   

Como a greve acontece em meio a um feriado de quatro dias, a cidade também recebeu muitos turistas, que tiveram dificuldade para chegar de carro a Veneza e encontrar um lugar para estacionar.   

Já em Milão, capital financeira da Itália, os danos foram contidos porque três linhas do metrô continuam operando normalmente. As estações estão com bastante movimento, mas sem registro de problemas maiores.   

Entre as grandes cidades, a única que não participou da greve foi Turim, no Piemonte, que terá uma paralisação no dia 6 de julho. Em seu perfil no Facebook, o ex-primeiro-ministro e líder do Partido Democrático (PD), Matteo Renzi, chamou o protesto de "escândalo".   

"Mais uma vez feito em uma sexta-feira. E proclamado por pequenas entidades que utilizam mais uma vez o álibi da privatização. E nessa época turística tão delicada, como se pode deixar a Alitalia mais uma vez em terra?", escreveu.   

A Alitalia, maior companhia aérea italiana e que vive uma grave crise financeira, foi uma das empresas mais afetadas pela paralisação e teve de cancelar dezenas de voos. "As greves de sexta-feira de verão são coisa de irresponsáveis. Não entendi o motivo da greve, mas foi um presente para a concorrência", criticou Luigi Gubitosi, um dos comissários nomeados pelo governo para gerir a Alitalia.   

Apesar de o verão ainda não ter começado na Itália, o país já convive com altas temperaturas, principalmente nas regiões litorâneas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos