Trump admite pela 1ª vez estar sendo investigado

NOVA YORK, 16 JUN (ANSA) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, admitiu pela primeira vez nesta sexta-feira, dia 16, que está sendo investigado no caso sobre a suposta influência russa nas eleições presidenciais do ano passado, nas quais o republicano saiu vencedor. Em seu Twitter, o mandatário atacou Rod Rosenstein, o oficial do Departamento de Justiça norte-americano responsável pela investigação. Na mensagem, Trump disse estar sendo "investigado" pela sua decisão de demitir o ex-diretor do FBI, James Comey, e acusou Rosenstein de estar liderando uma "caça às bruxas" contra ele. "Eu estou sendo investigado por demitir o diretor do FBI pelo homem que me disse para demitir o diretor do FBI! Caça às bruxas", escreveu o mandatário.   

O tweet também deu a entender que o procurador-geral especial do caso "Russiagate", Robert Muller, já começou a examinar o presidente para saber se a demissão de Comey foi uma tentativa de Trump de obstruir a investigação.   

E a menção a Rosenstein, que supervisiona o caso, veio apenas algumas horas após o oficial norte-americano ter reclamado de vazamentos de informações das investigações, que nem sempre são verdadeiras, em um comunicado. "Norte-americanos deveriam ser céticos em relação a alegações anônimas. O Departamento de Justiça estabeleceu há um tempo a política de nem confirmar ou negar essas informações", afirmou Rosenstein. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos