Morte de Carrie Fisher foi causada por apneia, diz legistas

ROMA, 17 JUN (ANSA) - Um laudo divulgado na noite de ontem (16) por médicos legistas do condado de Los Angeles, nos Estados Unidos, afirmou que a atriz norte-americana Carrie Fisher, conhecida mundialmente pelo seu papel como a Princesa Leia, na saga "Star Wars", morreu em decorrência de uma "apneia do sono e outros fatores indeterminados".   


Segundo o relatório, Fisher sofria de doenças cardíacas e outros problemas de saúde causados pelo uso de drogas. O laudo, no entanto, não foi capaz de informar se o uso de remédios contribuiu para a morte da atriz.   


A apneia do sono acontece quando uma pessoa para de respirar por alguns momentos durante o sono.   


Filha da atriz Debbie Reynolds e do cantor Eddie Fisher, Carrie Fisher morreu no dia 27 de dezembro de 2016 aos 60 anos. Dias antes, a estrela de "Star Wars" havia sofrido um infarto durante um voo que ia de Londres a Los Angeles. Na ocasião, Fisher chegou a ser socorrida ainda no avião e levada para o hospital UCLA Medical Center, onde faleceu quatro dias depois. Um dia após, sua mãe morreu por conta de um derrame aos 84 anos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos