Itália prende suspeito de assassinar jornalista na Ucrânia

MILÃO, 01 JUL (ANSA) - A Polícia de Milão prendeu na última sexta-feira (30) um ítalo-ucraniano acusado de ser o responsável pelo assassinato do fotojornalista italiano Andrea Rocchelli, morto ao lado de seu intérprete russo, Andrei Mironov, na cidade de Sloviansk.   

O crime ocorreu em 24 de maio de 2014, no auge dos conflitos separatistas no leste da Ucrânia. Rocchelli, então com 30 anos, estava na região de Donbass para documentar os combates entre as forças de Kiev e milícias pró-Rússia da autoproclamada República Popular de Donetsk.   

O suspeito se chama Vitaly Markiv, 28 anos, e foi capturado em Bolonha. Ele estava na Ucrânia para lutar contra os separatistas desde 2013 e, no dia 30 de junho, retornou à Itália pela primeira vez desde o início da guerra civil, com o objetivo de visitar a mãe.   

Segundo a Polícia, Markiv era o chefe da milícia que disparou tiros de morteiro contra o carro de Rocchelli e Mironov. Um jornalista francês também estava com a dupla, mas conseguiu escapar.   

Passados mais de três anos, o conflito na Ucrânia continua ativo, apesar do cessar-fogo acordado em Minsk, capital de Belarus, no início de 2015. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos