China diz que Nobel da Paz a Liu Xiaobo é 'blasfêmia'

PEQUIM, 14 JUL (ANSA) - Um dia após a morte do dissidente chinês Liu Xiaobo, Pequim denunciou nesta sexta-feira (14) que a concessão do Prêmio Nobel da Paz a ele foi uma "blasfêmia".   

"Conceder o prêmio a uma pessoa assim contradizia o próprio objetivo do prêmio", acusou o porta-voz do Ministério chinês das Relações Exteriores, Geng Shuang. A morte do ativista foi muito criticada por diversos países.   

Muitas nações pediram a libertação de Xiaobo ao governo chinês para que ele pudesse ser tratado no exterior. De acordo com o porta-voz, Pequim fez um protesto oficial frente a Estados Unidos, Alemanha e França. Após a morte de Xiaobo, os respectivos líderes prestaram uma homenagem ao dissidente.   

O chinês faleceu aos 61 ano após ficar semanas hospitalizado devido a um câncer de fígado. Ele sofreu falência múltipla dos órgãos, de acordo com a equipe médica.   

Liu Xiaobo foi condenado em 2009 a 11 anos de prisão por promover a "Carta08", movimento que pedia a democratização do sistema político chinês. O dissidente, porém, recebeu liberdade condicional para poder tratar a doença. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos