Senado do Chile aprova lei que autoriza aborto em 3 casos

SANTIAGO DO CHILE, 19 JUL (ANSA) - O Senado do Chile aprovou nesta quarta-feira (19) um projeto de lei que autoriza o aborto em três casos específicos: quando há risco de vida para a mulher grávida; estupro e má formação do feto. O país é um dos mais restritivo do mundo na legislação sobre aborto, que até agora é proibido em qualquer situação. A aprovação no Senado foi comemorada pela presidente chilena, Michelle Bachelet, que levou o projeto ao Congresso há dois anos. Em 2016, o texto recebeu o aval da Câmara dos Deputado, mas, desde então, permanecia em análise das comissões no Senado.   

Agora, o projeto voltará para a Câmara, onde o governo tem maioria, para corrigir os pontos sem consenso. Depois, seguirá para sanção presidencial. A iniciativa de Bachelet retoma uma proposta apresentada em 1991, e também em 2001 e 2005, sendo derrotada em todas as vezes por partidos de direita e democratas-cristãos.Até hoje, setores conservadores, apoiados por movimentos católicos, exercem uma forte pressão contra o projeto.   

"Hoje foi uma manhã histórica", celebrou Bachelet, que é ex-secretária das Nações Unidas para as Mulheres. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos