Polícia investiga incêndio na Grenfell Tower como homicídio

LONDRES, 27 JUL (ANSA) - As autoridades de Londres informaram nesta quinta-feira (27) que há "motivos suficientes" para definir o incêndio na Grenfell Tower, ocorrido em 14 de junho, como "um homicídio culposo provocado por uma ou várias empresas".   

De acordo com a polícia, entre as entidades envolvidas está o Município, além da entidade de casas populares Royal Borough de Kensington e de Chelsea, e a empresa Chelse Tenant Management .   

Em uma carta enviada aos sobreviventes e familiares das vítimas, a Scotland Yard acrescenta que responsáveis de alto nível do município e das entidades "serão formalmente interrogados sobre a potencial acusação".   

A Grenfell Tower tinha 24 andares e abrigava entre 400 e 500 moradores. O local já tinha recebido denúncias, em 2013, por falhas na segurança. O incêndio deixou 80 mortos, inclusive um casal de italianos.   

Segundo as primeiras investigações, as chamas na Grenfell Tower foram causadas por um curto-circuito em um freezer, mas se espalharam graças ao material inflamável que revestia a fachada do prédio.   

Devido à dificuldade para encontrar e reconhecer os corpos, o número exato de vítimas só deve ser conhecido em 2018. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos