Com ajuda de republicanos, Senado rejeita derrubar Obamacare

WASHINGTON, 28 JUL (ANSA) - Com três votos de republicanos e de 48 democratas, o Senado dos Estados Unidos rejeitou mais uma tentativa de mudar a reforma de saúde feita pelo ex-presidente Barack Obama na madrugada desta sexta-feira (28).   

Alinhados à oposição a Donald Trump, o senador John McCain - que voltou ao Senado poucos dias depois de ser diagnosticado com câncer cerebral -, e as senadoras Lisa Murkowski e Susan Collins votaram contra a chamada "skinny bill" ("lei magra") do Affordable Care Act. Com isso, a terceira tentativa de mudar o projeto foi derrotado por 51 a 49.   

A medida não revogaria inteiramente o "Obamacare", mas mudaria alguns pontos considerados fundamentais por Trump, tirando a cobertura de saúde de cerca de 16 milhões de pessoas.   

"3 republicanos e 48 democratas deixaram o povo americano para baixo. Como eu disse desde o início, deixe o Obamacare implodir e depois lidaremos com isso", escreveu Trump logo após a derrota.   

A revogação do "Obamacare" era uma das promessas de campanha do republicano, que sempre chamou o programa de "desastre". A líder republicana do Senado, Mitch McConnel, informou estar "decepcionada" com a votação e disse que é preciso "andar para frente", sem especificar se tentará por o projeto de novo na pauta. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos