Repórteres britânicos ameaçam greve por disparidade salarial

LONDRES, 1 AGO (ANSA) - Os jornalistas do "Financial Times" ameaçam fazer uma greve por conta da disparidade de salários entre homens e mulheres na empresa, informa a mídia britânica.   

Para tentar evitar a paralisação, uma reunião de emergência foi convocada para esta quarta-feira (2) para discutir as diferenças salariais entre os gêneros. A polêmica começou nas últimas semanas, quando foram revelados os salários e das disparidades na emissora britânica "BBC".   

Em um e-mail enviado para os funcionários do grupo "FT", o chefe interno do comitê da União Nacional dos Jornalistas, Steve Bird, destacou que "há a sensação de que os gestores do 'FT' não estão levando o assunto a sério".   

Os diretores do jornal, por sua vez, enviaram um e-mail de resposta informando que leva a questão "muito a sério" e que "tem uma longa lista de iniciativas em andamento para promover".   

De acordo com dados de Bird, a diferença salarial entre homens e mulheres nas mesmas funções chega a 13%, a maior em uma década.   

Além disso, o grupo postergou de 2020 para 2022 a meta de igualar os pagamentos para quem faz as mesmas funções. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos