França proíbe contratação de parentes de políticos

PARIS, 3 AGO (ANSA) - O Parlamento da França aprovou nesta quinta-feira (3) uma lei de "moralização da vida pública" que, entre outras regras, proíbe que deputados contratem parentes de primeiro grau para desemprenhar funções públicas.   

Com a última votação de hoje, que teve 383 votos a favor, três contrários e 48 abstenções, o projeto vai para a sanção do presidente Emmanuel Macron, que é um dos defensores da nova legislação.   

Entre outros pontos da lei, há ainda um regime mais rígido para o gasto dos parlamentares e o cancelamento da chamada "reserva parlamentar", um conjunto de recursos do Estado com que deputados e senadores podem financiar livremente grupos ou associações em seus distritos eleitorais.   

A medida surge após diversos escândalos envolvendo políticos proeminentes do país. O mais polêmico deles envolveu o ex-candidato à Presidência da França François Fillon que é alvo de um processo no país por ter dados "cargos fictícios" para sua esposa, Penelope, e dois de seus filhos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos