Imagens mostram atuação suspeita de ONG alemã no Mediterrâneo

ROMA, 3 AGO (ANSA) - A polêmica com a ONG alemã Jugend Rettet e a suposta ligação com traficantes de pessoas que atuam no Mar Mediterrâneo teve mais um capítulo nesta quinta-feira (3), quando imagens da Procuradoria de Trapani, na Itália, mostram membros da entidade ajudando os suspeitos.   

São três episódios ocorridos em 10 de setembro de 2016, em 18 de junho de 2017 e em 26 de junho deste ano. De acordo com a investigação, a ONG é acusada de favorecimento da imigração clandestina, devolvendo barcos para os supostos criminosos após resgatar as pessoas. Ontem (2) a polícia apreendeu o barco usado pelos alemães para os resgates, batizado de Iuventa.   

O primeiro deles mostra quando um bote do navio "embarca 140 imigrantes provenientes das águas territoriais líbias, que estavam a bordo de uma embarcação que, após o resgate, volta para as águas da Líbia". Esses deslocados chegaram a Trapani no Iuventa dois dias depois.   

No segundo episódio, os procuradores afirmam que membros da Iuventa "depois de terem participado de operações de socorro dos imigrantes provenientes das águas territoriais líbias a bordo de três barcos, as entregavam de volta aos traficantes líbios".   

A situação foi a mesma registrada no dia 26 de junho, quando os procuradores viram que um dos barcos dos traficantes, batizado com as letras "KK" estavam sendo novamente usados para uma missão que foi ligada à ONG alemã.   

Ainda segundo a denúncia, "os traficantes rebocavam as embarcações usadas pelos imigrantes e voltavam para as águas líbias".   

De acordo com a mídia italiana, os alemães acabaram sendo o estopim para que o governo italiano criasse uma espécie de "código de conduta" para o resgate das milhares de pessoas que chegam à Itália através do Mediterrâneo. A Jugend Rettet foi uma das ONGs que se recusou a assinar o protocolo.   

Através de uma nota oficial, os alemães informaram que "esperam" estar em contato com as autoridade italianas e lamentaram o fato de "não podermos operar na zona de busca e resgate nesse momento". "Só poderemos acessar todas as acusações que estão sendo feitas após coletarmos todas as informações", informa ainda o comunicado.   

Nesta quinta, a porta-voz da Comissão Europeia, Mina Andreeva, informou que o bloco "confia nas autoridades italianas que estão gerindo a questão" e destacou que já foi informada sobre o "incidente" com a ONG.   

Regras - O código de conduta rejeitado pela entidade alemã é formado por 13 compromissos, sendo que o principal deles proíbe as ONGs de entrarem nas águas territoriais líbias, a não ser em "situações de grave e iminente perigo". Também é vetado "facilitar" a partida de barcos clandestinos e atrasar a transmissão de sinais de identificação. As organizações ainda precisam provar sua capacidade técnica de efetuar resgates no mar (inclusive para conservar eventuais cadáveres); informar seu país de origem quando um salvamento acontece fora da área oficial de buscas; manter a Guarda Costeira da Itália atualizada sobre as operações de socorro; informar o governo sobre suas fontes de financiamento; e, "no limite do possível", recuperar as embarcações improvisadas nas quais as pessoas salvas viajavam. O descumprimento das normas do código de conduta pode levar à "adoção de medidas por parte das autoridades italianas contra os respectivos navios, no respeito da legislação internacional e nacional". Isso valerá mesmo para as ONGs que não assinaram o documento, como ficou claro na apreensão do barco Iuventa. Em 2016, o Centro de Coordenação de Resgate Marítimo (MRCC) da Guarda Costeira em Roma coordenou 1.424 intervenções no Mediterrâneo, totalizando 178.415 pessoas salvas. Desse total, 46.796 foram resgatadas por navios de ONGs, o que representa 26,2%. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos