Protestos no Quênia deixam mais de 20 mortos após eleição

NAIROBI, 12 AGO (ANSA) - Pelo menos 24 pessoas morreram no Quênia durante uma onda de protestos no país após a reeleição do presidente Uhuru Kenyatta, informou a ONG Human Rights, dedicada à defesa dos direitos humanos, neste sábado (12).   

De acordo com a organização, a polícia matou cerca de 17 pessoas na capital Nairobi enquanto que duas vítimas foram assassinadas nos arredores de Kimusu, cidade onde prevalecem eleitores da oposição.   

Entre as vítimas, também está uma criança de nove anos de idade, morta por uma bala perdida. Segundo o pai da menina, Wycliff Mokaya, sua filha estava na varanda de um edifício na zona norte da capital "brincando com seus amigos quando, de repente, ela caiu no chão".   

Segundo as autoridades locais, corpos de outros nove jovens mortos durante a noite desta sexta-feira (11) na favela de Mathare, em Nairobi, foram levados ao necrotério da cidade. Os homens foram mortos durante operações antissaques da polícia.   

O momento de tensão no Quênia teve início poucas horas depois de a comissão eleitoral do país anunciar que Kenyatta havia garantido um segundo mandato. No poder desde 2013, o mandatário ganhou o direito de continuar governando, após ter obtido 54% dos votos no pleito presidencial. Seu adversário, Raila Odinga, não reconhece o resultado e diz que houve fraudes na votação.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos