PUBLICIDADE
Topo

Ativistas salvam biblioteca 'poupada' pelo EI em Mosul

24/08/2017 17h26

BAGDÁ, 24 AGO (ANSA) - Um grupo de jovens ativistas e estudantes iraquianos conseguiu salvar a biblioteca central de Mosul, impedindo que as autoridades transformassem o local em um tribunal.   


A construção é um dos poucos edifícios históricos que não foi destruído pelo Estado Islâmico (EI) durante seu domínio na cidade ou por bombardeios da coalizão internacional.   


O prédio que sedia a biblioteca foi construído em 1921 e abriga muitos livros e importantes manuscritos, alguns do tempo de Nureddin Zenki, líder político que governou Aleppo, na Síria, e Mosul no século 12.   


Não se sabe por que os homens do "califado" pouparam o edifício da biblioteca, onde foram encontrados apenas pequenos danos na estrutura - todos os livros e documentos haviam sido transferidos para o subterrâneo da construção.   


Após a expulsão do EI da cidade, o governo da província de Ninive anunciou que queria transferir para o prédio o tribunal de Mosul, cuja antiga sede fora destruída por bombardeios.   


No entanto, ativistas criaram uma campanha nas redes sociais para salvar a biblioteca, conseguindo atrair a atenção do primeiro-ministro do Iraque, Haider al Abadi, que ordenou a restauração do edifício. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.