Crise em Myanmar se agrava e 160 mil rohingyas fogem do país

ROMA, 7 SET (ANSA) - A Organização das Nações Unidas (ONU) informou nesta quinta-feira (7) que mais de 164 mil muçulmanos rohingyas fugiram de Myanmar e foram para Bangladesh desde o dia 25 de agosto.   

Segundo uma estimativa da entidade, com o agravamento da crise, esse número pode chegar a 300 mil nos próximos dias. Por conta das perseguições sofridas no estado de Rakhine, e pela falta de infraestrutura básica para eles, muitos fogem "doentes ou feridos" em busca da segurança no país vizinho.   

Por conta das críticas à gestão de Myanmar sobre a crise, uma petição online pede que o Comitê do Nobel da Paz retire o prêmio dado para a líder do país Aung San Suu Kyi. Mais de 370 mil pessoas já assinaram o documento online, que justifica a retirada do prêmio porque ela "não fez nada para parar os crimes contra a humanidade no seu país". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos