Greve na Ryanair se agrava e pilotos rejeitam 'bônus'

ROMA, 20 SET (ANSA) - Os pilotos da companhia aérea low-cost Ryanair rejeitaram a proposta de um pagamento de bônus em troca da renúncia de 10 dias de férias e deram um ultimato à empresa para aceitar suas condições até sexta-feira (22).   

Segundo um documento assinado pelos representantes dos pilotos, há a cobrança por melhorias nas condições de trabalho, contratações com registros nos países de origem da operação e não apenas na Irlanda, onde a Ryanair tem sede.   

De acordo com a empresa, mais de 315 mil passageiros foram afetados pela greve. Os motivos dos protestos são vários, desde as péssimas condições de trabalho até o anúncio da companhia de cortar cerca de 2,1 mil voos até o fim do ano.   

Na Itália, a Autoridade Antitruste anunciou que abriu um procedimento instrutório para verificar se a empresa cometeu "práticas comerciais incorretas" por conta dos "numerosos cancelamentos dos voos efetuados ou a serem efetuados nas próximas semanas". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos