Em Florença, May propõe 2 anos de transição após Brexit

LONDRES, 22 SET (ANSA) - Na tentativa de resolver o impasse nas negociações para o Brexit, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, fez um discurso hoje (22) em Florença, formalizando a proposta de um "período transitório" de dois anos após a separação da União Europeia (UE), prevista para 2019.   

Com um tom de "cooperação", May garantiu que o Reino Unido quer permanecer "parceira" da UE e que "não virará as costas". Além de formalizar a sugestão de uma "fase transitória" para o Brexit, May voltou a prometer que o Reino Unido fornecerá todas as garantias para os europeus que vivem no país e fez uma proposta de colaboração na área de segurança para lidar com ameaças terroristas e gerenciar a crise imigratória. A premier disse esperar que UE e Reino Unido sejam "criativos" em estabelecer uma nova relação após o Brexit, sinalizando abertura a uma possível solução "híbrida". May apresentou a ideia de estabelecer um período transitório, com duração de dois anos após a conclusão do Brexit, ou seja, até 2021, durante os quais prevalecerão as normas da UE. Nesse perído, o Reino Unido permaneceria no mercado único europeu, oferecendo a manutenção de seus negócios financeiros em Bruxelas. Também é possível que Londres ofereça o pagamento de 20 milhões de euros como ressarcimento do "divórcio". Segundo May, esse período de transição "é do interesse" de todos. Ela também ressaltou a importância de uma colaboração na área de segurança entre Reino Unido e União Europeia após o Brexit, através de um "corajoso e estratégico acordo" de cooperação, "sem precedentes", "para proteger nossos povos, defender nossos valores e garantir a segurança de todo o continente". May escolheu Florença, na Itália, para fazer um dos seus mais aguardados discursos sobre o Brexit, alegando que a cidade "no coração histórico da Europa" é uma antiga potência comercial, com a qual Londres tem "fortes laços econômicos e culturais". A premier abordou em seu discurso justamente os pontos que têm gerado impasse nas negociações com a União Europeia. Em janeiro, May fez um pronunciado na Lancaster House sugerindo um rompimento duro com a UE, o que desagradou aos negociadores. O bloco tem pressionado Londres a pagar o que tem sido chamado de "conta do divórcio" para abandonar a UE. Mas, do outro lado, May enfrenta uma ala do Partido Conservador encabeçada pelos ministros Boris Johnson e Michael Gove que exigem que ela não ceda às exigências de Bruxelas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos