Ex-premier da Tailândia é condenada a 5 anos de prisão

BANGKOK, 27 SET (ANSA) - A ex-primeira-ministra da Tailândia Yingluck Shinawatra foi condenada nesta quarta-feira (27) a cinco anos de reclusão e interdição perpétua de cargos públicos por "negligência" em um programa de subsídios a produtores de arroz durante seu governo (2011-2014).   

Segundo a Suprema Corte, a medida causou danos de pelo menos US$ 10 bilhões à economia tailandesa. Shinawatra foi julgada em contumácia, ou seja, quando o acusado se recusa a comparecer ao tribunal, e teria fugido ao exterior para escapar da cadeia.   

Ela é irmã de Thaksin Shinawatra, que governou a Tailândia entre 2001 e 2006 e também se exilou para não ser preso - em seu caso, por abuso de poder. No Reino Unido, o ex-primeiro-ministro ganhou fama como dono do Manchester City a partir de 2007, mas vendeu o clube para investidores árabes no ano seguinte.   

O programa de subsídios implantado por Yingluck Shinawatra, a primeira mulher a governar o país asiático, previa que o Estado comprasse parte da produção de arroz a preços majorados, com a esperança de vender os estoques por valores ainda mais elevados.   

Tanto ela quanto seu irmão foram depostos por golpes de Estado, e a Tailândia é governada hoje por uma junta militar. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos