Cuba chama decisão dos EUA de 'apressada' e nega culpa

HAVANA, 29 SET (ANSA) - O governo de Cuba afirmou nesta sexta-feira (29) que a decisão dos Estados Unidos de reduzir em 60% seu pessoal na embaixada em Havana é uma medida "apressada".   

Além disso, o país latino garantiu não ter nenhuma responsabilidade nos supostos "ataques acústicos" relatados por diplomatas norte-americanos nos últimos meses.   

Segundo Josefina Vidal, responsável do Ministério das Relações Exteriores pelo relacionamento com os EUA, a redução pode afetar a "cooperação" e as "trocas bilaterais" entre as duas nações.   

Além disso, ela reiterou o "desejo de Cuba de continuar uma colaboração ativa para esclarecer" os ataques. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos