Itália expulsará candidato a embaixador da Coreia do Norte

ROMA, 01 OUT (ANSA) - O ministro das Relações Exteriores da Itália, Angelino Alfano, anunciou neste domingo (1º) que o candidato a embaixador da Coreia do Norte no país será expulso.   

Em entrevista ao jornal "la Repubblica", o chanceler disse que a medida é uma retaliação aos recentes testes nucleares e balísticos realizados pelo regime de Pyongyang.   

"Tomamos uma decisão forte: interromper o procedimento de credenciamento do embaixador da República Popular Democrática da Coreia. O embaixador deverá deixar a Itália", afirmou Alfano.   

Segundo o ministro, o objetivo da expulsão é fazer o governo de Kim Jong-un entender que ficará cada vez mais isolado se "não mudar de rumo". "No entanto, não cortaremos as relações, porque pode ser útil manter um canal de comunicação".   

O cargo de embaixador da Coreia do Norte na Itália está vago desde fevereiro de 2016, após a morte do diplomata Kim Chun-guk, e as credenciais de seu sucessor, Mung Jong-nam, estavam sob análise da Presidência da República.   

Os recorrentes testes nucleares e balísticos de Pyongyang motivaram diversas sanções por parte das Nações Unidas, cujo conselho de segurança tem a Itália como um de seus integrantes rotativos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos