Ex-premier italiano cobra extradição 'imediata' de Battisti

ROMA, 04 OUT (ANSA) - O ex-primeiro-ministro da Itália Matteo Renzi cobrou nesta quarta-feira (4) a "imediata" extradição do ex-ativista Cesare Battisti, retido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Corumbá (MS), na fronteira entre Brasil e Bolívia.   

"Battisti estava fugindo para a Bolívia. O pegaram. Que as autoridades brasileiras o restituam à Itália, imediatamente.   

Pedimos justiça", escreveu no Twitter o ex-premier e atual líder do centro-esquerdista Partido Democrático (PD), principal legenda do país e à qual pertence o primeiro-ministro Paolo Gentiloni.   

É a primeira vez que Renzi aborda o "caso Battisti" de maneira tão incisiva, já que, durante seu período como chefe de governo, entre fevereiro de 2014 e dezembro de 2016, ele preferia adotar uma postura mais diplomática. O ex-premier é admirador confesso de Luiz Inácio Lula da Silva, que concedeu asilo político para o ex-ativista no último dia de seu segundo mandato.   

A mudança de tom indica o aumento da pressão de Roma para reaver Battisti, condenado em seu país à prisão perpétua por envolvimento em quatro assassinatos na década de 1970, quando fazia parte de uma milícia de extrema esquerda. Segundo o jornal "O Globo", foi ainda sob o governo Renzi que a Itália fez um pedido para o presidente Michel Temer rever a condição de asilado político de Battisti. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos