Índia estuda reabrir caso sobre assassinato de Gandhi

NOVA DÉLHI, 06 OUT (ANSA) - A Suprema Corte da Índia decidiu nesta sexta-feira (6) examinar a possibilidade de reabrir o caso sobre o assassinato do líder pacifista Mahatma Gandhi, ocorrido quase 70 anos atrás.   

O tribunal atendeu ao pedido de um pesquisador da organização Abhinav Bharat, formada por hindus de direita. O homicídio de Gandhi ocorreu no dia 30 de janeiro de 1948, quando ele foi baleado pelo nacionalista hindu Nathuram Vinayak Godse, enforcado em novembro do ano seguinte.   

Segundo o pesquisador Pankaj Phadnis, que trabalha para a Abhinav Bharat, Godse foi usado como pretexto para um dos "maiores acobertamentos da história". Atualmente, a organização é presidida pela bisneta do assassino de Gandhi, Himani Savarkar.   

A Suprema Corte da Índia já destacou um advogado, Amarendra Sharan, para verificar se há indícios concretos que justifiquem a reabertura do caso. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos