Itália investiga conexões de irmão de terrorista de Marselha

ROMA, 09 OUT (ANSA) - O tunisiano Anis Hanachi, irmão de Ahmed Hanachi, autor do ataque que matou duas jovens em Marselha, no sul da França, lutou ao lado de jihadistas na Síria e havia sido barrado pela Itália em 2014.   

Anis, 25 anos, foi capturado no último sábado (7) na cidade italiana de Ferrara, após as autoridades do país terem sido alertadas sobre sua possível presença pela polícia da França.   

Uma semana antes, seu irmão assassinara duas mulheres de 20 e 21 anos a facadas na estação Saint-Charles, a mais movimentada de Marselha, em um ato reivindicado pelo Estado Islâmico (EI).   

Segundo fontes investigativas, Anis é um dos milhares de combatentes estrangeiros que viajaram à Síria para defender a causa do EI e teria sido inclusive o responsável pela radicalização de Ahmed, morto pelas forças de segurança francesas.   

Em 2014, Anis chegou à Sicília em um barco clandestino, mas teve sua entrada na Itália vetada pelas autoridades. No entanto, a polícia ainda investiga para descobrir como ele conseguiu voltar ao território italiano.   

"Faremos uma série de verificações para descobrir se ele estava na Itália antes de setembro ou se tem contatos com outros extremistas em nosso país", declarou o procurador nacional antimáfia, Franco Roberti. Até o momento, não há evidências de que Anis estivesse planejando atos terroristas na Itália.   

O próprio Ahmed Hanachi, 30 anos, também chegou a morar na península, entre 2006 e 2013, e foi até casado com uma cidadã italiana, porém não dava indícios de radicalização. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos