Jihadistas são evacuados de Raqqa antes de 'assalto final'

BEIRUTE, 15 OUT (ANSA) - Após a evacuação de centenas de jihadistas e suas famílias, as Forças Democráticas da Síria (FDS), apoiadas pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, anunciaram neste domingo (15) o "assalto final" aos últimos bairros de Raqqa que ainda estão sob controle do Estado Islâmico (EI).   

A retirada de milicianos foi permitida graças a um acordo patrocinado pela aliança anti-EI e incluiu alguns cidadãos estrangeiros, mas ainda não está claro se eles são da Europa ou de nações árabes.   

O pacto foi fechado no último sábado (14) e excluía jihadistas de outros países, já que muitos deles são originários do Ocidente. As tratativas para ampliar o escopo da evacuação prosseguiram até a madrugada deste domingo.   

Segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (Sohr, na sigla em inglês), essa hipótese era rechaçada sobretudo pelos serviços secretos franceses, convencidos de que os mentores dos atentados de 2015 em Paris estavam escondidos na cidade.   

Raqqa tem 200 mil habitantes e é considerada a "capital" do Estado Islâmico na Síria. Sua iminente libertação representa um duro golpe para o grupo terrorista, que recentemente perdeu também o controle de Mosul, no Iraque.   

A ofensiva em Raqqa começou no fim de 2016 e é liderada pelas FDS, que reúnem milícias curdas e contam com apoio aéreo da coalizão internacional. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos