Justiça decreta prisão de líderes separatistas catalães

BARCELONA, 16 OUT (ANSA) - A Justiça da Espanha adotou medidas cautelares contra o chefe da polícia da Catalunha, Josep Lluis Trapero, por conta da suposta "inação" da corporação durante o plebiscito separatista de 1º de outubro.   

A Procuradoria Federal havia pedido a prisão de Trapero, mas a Audiência Nacional, tribunal sediado em Madri, decidiu mantê-lo em liberdade. O major dos Mossos d'Esquadra, nome da força policial catalã, terá apenas de entregar o passaporte e comparecer a uma delegacia a cada 15 dias.   

Segundo a Procuradoria, Trapero não obedeceu às ordens da Justiça espanhola para apreender urnas e fechar locais de votação no plebiscito. As ações de repressão acabaram ficando a cargo da Guarda Civil e da Polícia Nacional, que usaram a força para evitar a votação e entraram em confronto com cidadãos, deixando um saldo de 800 feridos.   

Além das medidas contra o major dos Mossos d'Esquadra, a Justiça espanhola ordenou a prisão dos líderes de duas grandes organizações separatistas da sociedade civil: Jordi Sànchez, presidente da Assembleia Nacional Catalã (ANC), e Jordi Cuixart, mandatário da Òmnium Cultural.   

Ambos são acusados de "sedição" nas manifestações pró-independência realizadas em 20 e 21 de setembro em Barcelona. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos