Número de pessoas que deixam a Itália cresce 15%

ROMA, 17 OUT (ANSA) - Ao mesmo tempo em que dezenas de milhares de imigrantes provenientes da África e do Oriente Médio chegam na Itália, o número de italianos que deixaram o país aumentou 15,4% no ano passado, segundo um relatório da Fundação Migrantes.   

Em 2016, 124.076 moradores da Itália foram embora para morar em outros países, sendo que 39% dessas pessoas eram jovens entre 18 e 34 anos. Desde 2006, o fluxo de saída de italianos aumentou mais de 60%.   

O relatório aponta que o principal destino desses migrantes são nações do próprio continente europeu, como Reino Unido, Alemanha, Suíça e França. Na sequência, aparecem países das Américas, como Estados Unidos, Canadá e Brasil.   

Com cerca de 23 mil emigrados, a Lombardia, no norte da Itália, foi a região que apresentou o maior número de saídas, seguida por Vêneto (11,6 mil) e Sicília (11,5 mil). Na outra ponta do ranking, Friuli-Veneza Giulia foi a região que registrou o menor índice, com apenas 300 pessoas indo embora.   

Em 1º de janeiro de 2017, a pesquisa constatou que cerca de 5 milhões de italianos viviam no exterior. As maiores comunidades italianas no mundo estão na Argentina (pouco mais de 800 mil), Alemanha (725 mil) e Suíça (605 mil). O número de italianos nascidos no exterior também aumentou, de cerca de 1,7 milhão em 2014 para quase 2 milhões em 2017. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos