Papa expressa 'dor' por assassinato de jornalista maltesa

CIDADE DO VATICANO, 20 OUT (ANSA) - O papa Francisco enviou um telegrama de condolências pelo assassinato da jornalista maltesa Daphne Caruana Galizia, vítima de uma bomba detonada em seu carro na última segunda-feira (16).   

A mensagem foi encaminhada ao arcebispo de Malta, monsenhor Charles Scicluna, pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin. "Triste pela trágica morte de Daphne Caruana Galizia, Sua Santidade Papa Francisco reza pelo seu descanso eterno e pede que se transmita suas condolências à família", diz o telegrama.   

Famosa por suas reportagens sobre escândalos de corrupção no governo de Malta, chefiado pelo trabalhista Joseph Muscat, Galizia foi assassinada nos arredores da cidade de Mosta. Ela ganhou notoriedade ao participar das investigações do escândalo "Malta Files", que mostrou como essa pequena nação insular serve de base para evasão fiscal na União Europeia.   

Além disso, a jornalista revelou, no âmbito do caso "Panama Papers", que a esposa de Muscat possuía empresas em paraísos fiscais. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos