Político italiano é preso 3 dias após eleições

SICÍLIA, 8 NOV (ANSA) - As eleições na Sicília, realizadas no últomo domingo, continuam repercutindo na Itália. Um deputado regional recém-eleito foi preso hoje (8) por evasão fiscal.   

Trata-se de Cateno De Luca, eleito para a nova Assembleia Regional da Sicília (ARS), que conta com 70 membros.   

O político, que já havia cumprido um mandato de deputado, é filiado ao partido União dos Democratas Cristãos e de Centro (UDC). Ele conquistou 5.418 votos no domingo, mas sua candidatura já era considerada impugnada. O UDC está na coalizão de Nello Musumeci, do Movimento Social Italiano (MSI), que venceu o pleito na Sicília. Na última sexta-feira, no encerramento da campanha eleitoral, De Luca tinha anunciado sua ambição de se candidatar à Prefeitura de Messina no próximo pleito.   

De acordo com a denúncia da procuradora Monica De Francesco, o deputado integra uma organização criminosa que evadiu cerca de 1,75 milhão de euros. Cateno De Luca foi colocado em prisão domiciliar. Outras oito pessoas também foram denunciadas no esquema.   

De Luca é dono de empresas em Fiumedinisi, pequena cidade da qual também já fora prefeito e onde já fora preso, há três anos, por negócios financeiros suspeitos. Sua condenação era de cinco anos de prisão, o que lhe impedia de concorrer às eleições atuais. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos