Em Nova York, defesa de Marin culpa Del Nero por subornos

SÃO PAULO, 14 NOV (ANSA) - A fase principal do julgamento do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin começou nesta segunda-feira (13), em Nova York, nos Estados Unidos, e a defesa do cartola apontou que Marco Polo del Nero era quem mandava na CBF.   


Perante à corte do Brooklyn, o advogado de Marin, Charles Stillman, diminuiu o papel do cartola brasileiro no escândalo de corrupção da Fifa, afirmando que era Del Nero, então vice-presidente, que representava o Brasil na entidade que rege o futebol no mundo.   


Segundo a defesa, o atual presidente da CBF, que também está sendo indiciado pelas autoridades norte-americanas, era a "grande figura" do futebol brasileiro e Marin foi apenas um "substituto temporário".   


Além do cartola brasileiro, também serão julgados o peruano Manuel Burga e o paraguaio Juan Ángel Napout, todos envolvidos no escândalo que abalou a imagem da Fifa em 2015.   


Desde novembro de 2015, Marin está cumprindo prisão domiciliar em um luxuoso prédio de Manhattan. O cartola é acusado de cobrar propinas em contratos de transmissão de TV e marketing na Copa do Brasil, Copa América e Libertadores.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos