PUBLICIDADE
Topo

Israel ameaça tirar apoio do Giro d'Italia por frase em site

30/11/2017 09h52

TEL AVIV, 30 NOV (ANSA) - O governo de Israel ameaçou retirar seu aporte financeiro das três primeiras etapas da tradicional prova de ciclismo Giro d'Italia após a organização usar o termo "Jerusalém Ocidental" no site do evento.   


Nesta quinta-feira (30), um comunicado assinado pelos ministros de Esporte e Cultura, Miri Regev, e de Turismo, Yariv Levin, advertiu a organização da prova que se o termo não for alterado "o governo israelense não participará da iniciativa".   


"Jerusalém é a capital de Israel. Não existe Ocidental e Oriental. Jerusalém é uma cidade unida. Aquela publicação é uma infração do acordo com o governo israelense. Se não mudar, Israrel não vai participar do evento", diz ainda a nota conjunta.   


Segundo o jornal pró-governo "Israel Hayom", os Ministérios chegaram à conclusão que o uso desse termo "trata-se de um elemento de pressão pró-palestino, que busca afirmar que Jerusalém não faz parte de Israel".   


Nesta quarta-feira (29), a organização divulgou o percurso da 101ª edição da tradicional prova de ciclismo que, pela primeira vez, começará fora da Europa. De acordo com o trajeto, o Giro começará no dia 4 de maio e terminará no dia 27 em frente ao Coliseu, em Roma.   


A organização não se pronunciou oficialmente sobre a nota, mas o site do evento já não apresenta nesta quinta-feira o termo "West Jerusalem" na rota da competição. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.