Emergências humanitárias afetarão 91 milhões em 2018,diz ONU

GENEBRA, 1 DEZ (ANSA) - A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou hoje (1) que precisará de uma verba recorde de US$ 22,5 bilhões para emergências humanitárias em 2018. O dinheiro será destinado ao fornecimento de alimentos, alojamentos, assistência sanitária, educação e proteção a 91 milhões de pessoas em todo o mundo. Elas são consideradas a parcela da população mais vulnerável e em situação de emergência no planeta, que conta, no total, com 136 milhões de pessoas vítimas de conflitos armados, desastres naturais ou epidemais em 26 países. A previsão orçamentária da ONU foi anunciada em um evento em Genebra, em campanha para recolhimento de fundos e doações. Os países que enfrentam situações mais emergenciais são a Síria, devido à guerra civil e aos conflitos armados, e o Iêmen, que continua sendo a nação vítima da maior crise humanitária da atualidade. "Mais pessoas que nunca terão necessidade da nossa assistência", disse o responsável das Nações Unidas para Questões Humanitárias, Mark Lowcock. Além de Síria e Iêmen, a ONU assistirá a população do Burundi, Camarões, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Líbia e Somália ao longo do ano que vem. "As exigências também permanecem excepcionalmente altas na Nigéria e no Sudão do Sul", comentou Lowcock. Nos outros países, como Afeganistão, Etiópia, Iraque, Mali e Ucrânica, as emergências deverão diminuir. Para as atividades humanitárias de 2017, a ONU tinha pedido um valor um pouco menor, de US$ 22,2 bilhões, e só conseguiu US$ 13 bilhões em doações até novembro. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos