Ex-assessor de Trump assumirá culpa por mentir ao FBI

NOVA YORK, 01 DEZ (ANSA) - O ex-conselheiro para Segurança Nacional do presidente Donald Trump, Michael Flynn, vai se declarar culpado de ter mentido a agentes do FBI sobre sua relação com representantes russos.   

Segundo a imprensa norte-americana, o ex-assessor do republicano confirmará em um tribunal nesta sexta-feira (1º) que deu falso testemunho sobre seus contatos com o embaixador de Moscou em Washington, Sergey Kislyak, ocorridos em dezembro passado, durante o período de transição de governo.   

Flynn prestou depoimento ao FBI em 24 de janeiro passado, quatro dias depois da posse de Trump, quando negou ter se encontrado com Kislyak. A notícia de que Flynn assumirá ter mentido aos investigadores indicam que ele pode ter decidido colaborar com a equipe do procurador especial Robert Mueller, responsável pelo inquérito que apura as supostas interferências da Rússia nas eleições norte-americanas de 2016.   

Levado ao governo por Trump, Flynn teve de deixar seu cargo em fevereiro passado, após a revelação de que ocultara contatos telefônicos com a diplomacia russa. As ligações foram interceptadas pelo FBI e captaram conversas com Kislyak sobre as sanções impostas por Barack Obama por conta da suposta ação do Kremlin nas eleições.   

No primeiro semestre, a imprensa norte-americana divulgou que o presidente teria pedido ao então chefe do FBI, James Comey, depois demitido, para ele engavetar as investigações contra Flynn. "Ele é um bom rapaz, espero que você possa deixar isso para lá", teria afirmado o republicano. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos