Itália registra pior seca em mais de 2 séculos

ROMA, 04 DEZ (ANSA) - O ano de 2017 foi o mais seco na Itália desde 1800, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (4) pelo Conselho Nacional de Pesquisas (CNR, na sigla em italiano).   

De acordo com a instituição, a média de chuvas registrada em 2017 é 30% inferior àquela do período de referência, entre 1971 e 2000, configurando a pior escassez de água no país em mais de dois séculos - na análise do CNR, o ano meteorológico termina em novembro e começa em dezembro.   

Nos últimos meses, principalmente no verão europeu, a Itália sofreu com a aridez em boa parte de seu território, com 10 regiões ficando à beira do estado de calamidade. Além disso, a seca provocou uma série de incêndios florestais de norte a sul da península.   

"Com exceção de janeiro, setembro e novembro, todos os outros meses registraram um sinal negativo [no índice de chuvas], quase sempre com déficits de mais de 30%, e em seis meses, de mais de 50%", diz o CNR.   

Segundo o conselho, 2017 teve uma temperatura média 1,3 grau acima daquela do período de referência, no quarto ano mais quente desde 1800, atrás apenas de 2003 (+1,36 grau), 2014 (+1,38) e 2015 (+1,43). Nos meses de verão, as temperaturas nas cidades do centro-sul da Itália ultrapassaram os 40ºC com frequência. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos