Argentina reconhece morte de toda tripulação de submarino

BUENOS AIRES, 5 DEZ (ANSA) - Pela primeira vez, o governo argentino reconheceu que os 44 tripulantes do submarino ARA San Juan, que desapareceu no dia 15 de novembro, "estão todos mortos".   

Segundo o ministro da Defesa do país, Oscar Aguad, disse em uma entrevista à TV "Todo Noticias" que a missão de busca e resgate, encerrada na última quinta-feira (29), "é iniciada quando há desaparecidos no mar e é encerrada quando todos foram salvos ou não há mais condições para que a vida exista".   

De acordo com uma nota da Marinha, recebida pelo governo, as condições ambientais e o tempo que já passou desde o desaparecimento "são incompatíveis com a existência humana".   

"Então estão todos mortos?", questionou o apresentador do jornal, "Exatamente", respondeu Aguad.   

No entanto, o ministro afirmou que o presidente do país, Mauricio Macri, ordenou a manutenção da busca pelo equipamento por "esse ser um compromisso que assumimos com as famílias".   

"As normas internacionais impõem esses limites. Não podemos continuar a procurar a vida de maneira indefinida quando não há mais condições dela existir", acrescentou.   

Aguad também foi questionado sobre a manutenção do ARA San Juan, que teria "passado com sucesso por todos os controles" e estava em "condições perfeitas para navegar".   

O submarino desapareceu, sem deixar rastros, após cumprir uma missão na Patagônia. No último comunicado, os tripulantes relataram um "princípio de incêndio" em parte das baterias. Um estudo norte-americano detectou que, na área do sumiço, houve um evento similar a uma explosão. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos