PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Reino Unido ameaça Facebook e Twitter por 'caso Brexit'

29/12/2017 16h17

LONDRES, 29 DEZ (ANSA) - O Facebook e o Twitter poderão enfrentar sanções se continuarem a esconder do Parlamento britânico postagens sobre a possível interferência russa no referendo do Brexit, informou o jornal "The Guardian" nesta sexta-feira (29).

De acordo com a publicação, o comitê de mídia da Câmara dos Comuns, que investiga as possíveis "fake news", deu um ultimato às redes sociais para fornecerem as informações até 18 de janeiro.

"Deve haver uma maneira de analisar esses procedimentos que permitem que empresas, como o Facebook, identifiquem fontes de desinformação, particularmente quando é politicamente motivada e organizada por outro país", disse o deputado conservador, Damian Collins, que preside o comitê digital para assuntos de cultura, mídia e esportes.

Além disso, o parlamentar declarou, pela primeira vez, que no caso de não haver cooperação plena na investigação, poderá haver "algum tipo de sanção" contra as duas redes sociais. Entre as possibilidades, mencionadas pelo jornal britânico "Daily Telegraph", está a de ajudar o setor publicitário a "boicotar" os dois gigantes da web.

Em novembro, representantes jurídicos do Facebook e Twitter concordaram em ceder mais informações sobre o conteúdo veiculado por agências russas de internet com intuito de influenciar a opinião do referendo que perguntou à população sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. Collins acredita que mais informações se fazem necessárias para que a população do Reino Unido possa entender quais são os interesses da Rússia em relação ao caso Brexit. (ANSA)

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.

Internacional