Topo

Judeus pedem remoção do nome de rei italiano de escolas

03/01/2018 15h06

ROMA, 03 JAN (ANSA) - A União das Comunidades Hebraicas Italianas (Ucei) enviou uma carta ao Ministério dos Bens Culturais do país pedindo a remoção do nome do rei Vittorio Emanuele III de todas as escolas e bibliotecas públicas que o homenageiam.   

O monarca, cujo corpo retornou recentemente à Itália, cedeu o governo nacional para Benito Mussolini, em 1922, e sancionou as leis raciais fascistas de 1938, que autorizaram a perseguição contra judeus.   

"Com desânimo, pudemos constatar, com uma simples busca, que infelizmente existe ainda hoje um longo elenco de escolas e bibliotecas públicas dedicadas pelos italianos ao rei que os abandonou à própria sorte", diz o documento, que é assinado pela presidente da Ucei, Noemi Di Segni.   

Ela cita como exemplo a Biblioteca Nacional Vittorio Emanuele III, em Nápoles, que é subordinada ao Ministério dos Bens Culturais. O monarca reinou entre 1900 e 1946, quando abdicou do trono em favor do filho Umberto II.   

Seus restos mortais estavam em Alexandria, no Egito, mas foram levados, em dezembro passado, para o Santuário de Vicoforte, basílica monumental situada no Piemonte, norte da Itália. O retorno do corpo incomodou a comunidade hebraica italiana, principalmente após a família do rei ter sugerido que ele fosse sepultado no Panteão de Roma, onde estão os túmulos de outros monarcas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.