Poder de compra das famílias italianas volta a aumentar

ROMA, 5 JAN (ANSA) - O poder de compra das famílias italianas voltou a subir no terceiro trimestre de 2017, subindo 0,8% na comparação com o trimestre anterior, informou nesta sexta-feira (5) o Instituto Italiano de Estatísticas (Istat). Na comparação com o mesmo período do ano anterior, a alta foi de 1,1%. Com isso, foi encerrado um prazo de três dados negativos seguidos.   

Também a renda das famílias apresentou um "crescimento significativo", de acordo com a entidade, subindo 0,7% no trimestre - o que representa uma alta de 2,1% na comparação com o terceiro trimestre de 2016.   

O ano de 2017, em dados preliminares, também foi marcado pelo volta do aumento nos preços, afastando o risco de deflação. Em média, o Istat estima que os valores subiram 1,2% após a queda de 0,1% de 2016.   

De acordo com o relatório divulgado hoje, houve uma "clara inversão de tendência", que permite a volta dos preços no nível de 2013. O que fez a diferença no ano foram os preços de bens energéticos (combustíveis, luz e gás) e os alimentares frescos (frutas e verduras).   

O documento do Istat mostrou ainda que, no terceiro trimestre de 2017, a pressão fiscal caiu 0,4%, chegando a 40,3%, no menor nível desde 2011. Os dados relativos aos primeiros nove meses de 2017, até o momento, está em 40,2%, o mais contido dos últimos seis anos.   

Já o endividamento líquido na relação com o Produto Interno Bruto (PIB) ficou em 2,1%, perante 2,4% na comparação com o mesmo período de 2016, atingindo assim uma "melhora" de 0,3 ponto percentual. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos