Líder da Revolução dos Guarda-Chuvas é condenado em Hong Kong

HONG KONG, 17 JAN (ANSA) - O ativista Joshua Wong, um dos líderes do movimento pró-democracia de 2014 em Hong Kong, conhecido como "Revolução dos Guarda-Chuvas", foi condenado nesta quarta-feira (17) a três meses de prisão.   

A condenação do ativista foi baseada no fato do estudante não ter respeitado uma ordem do governo de remover um acampamento erguido durante as manifestações. Essa é a segunda sentença do jovem de 21 anos.   

Após ter pago uma fiança, Wong estava em liberdade esperando o julgamento de uma apelação contra uma condenação de seis meses de reclusão por outros supostos crimes que cometeu durante as manifestações.   

Além de Joshua, outro militante da "Revolução dos Guarda-Chuvas", Raphael Wong, foi condenado hoje (17) a quatro meses e meio de prisão.   

Com muitos manifestantes reunidos na porta do tribunal, antes da audiência, Joshua afirmou que não "se arrependia" por seus atos.   

Já Raphael, após ter sua sentença confirmada, afirmou que a "luta pela democracia não vai mudar".   

Dezenas de militantes pró-democracia se reuniram na frente do tribunal para se manifestarem contra as condenações.   

A "Revolução dos Guarda-Chuvas" foi iniciada em setembro de 2014, quando os manifestantes a favor da democracia se reuniram na frente da sede do governo e ocuparam diversas ruas da cidade.   

Eles começaram a se manifestar após Congresso Nacional do Povo anunciar que a população não participaria nas escolhas dos candidatos a governador de Hong Kong.   

Assim como Macau, Hong Kong é uma região admnistrativa especial da China.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos