Tom Petty morreu de 'overdose acidental', diz família

WASHINGTON, 20 JAN (ANSA) - O músico norte-americano Tom Petty, morto no dia 2 de outubro de 2017, aos 66 anos, foi vítima de uma "overdose acidental de medicamentos".   


O resultado da autópsia foi divulgado no Facebook por Dana e Adria Petty, esposa e filha do astro, respectivamente. Segundo o comunicado, Petty enfrentava dores causadas por um enfisema, uma fratura no quadril e problemas no joelho.   


"Apesar disso, ele insistia em manter o compromisso com os fãs e fez uma turnê de 53 shows, o que piorou a situação", disse a família. A esposa e a filha acreditam que um agravamento da dor no quadril levou o músico a fazer uso excessivo de medicamentos.   


Petty havia sido encontrado inconsciente em sua casa em Malibu, nos Estados Unidos, no dia 1º de outubro. Levado às pressas a um hospital, ele perdeu a atividade cerebral, e a família autorizou o desligamento dos aparelhos que o mantinham vivo.   


O músico liderava a banda Tom Petty and the Heartbreakers e também integrou o supergrupo Traveling Wilburys, junto com nomes como Bob Dylan e George Harrison, no fim da década de 1980.   


(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos