Fake news, Bitcoin, assédio sexual-Confira os temas de Davos

SÃO PAULO, 22 JAN (ANSA) - Em meio a um contexto de crises políticas, econômicas e sociais, a 48ª edição do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, começa nesta terça-feira (23) com a proposta de criar um "futuro compartilhado em um mundo fraturado".   

De acordo com a própria organização do evento, as mudanças políticas ocorridas ao longo de 2017 e até a "volta" dos discursos de protecionismo econômico afetarão o desenvolvimento mundial.   

E, para marcar o evento, o Fórum Mundial divulgou um novo relatório, organizado pela Oxfam, que mostra o aumento exponencial da desigualdade no mundo, com 3,7 bilhões de pessoas vivendo na pobreza. Enquanto isso, o mundo registrou um aumento de 13% (desde 2010) no número de bilionários.   

Ao todo, estima-se que mais de três mil pessoas - incluindo empresários, ativistas e donos de empresas - participem do evento, bem como um número recorde de chefes de Estado e de Governo, até a próxima sexta-feira (26). Estima-se que ao menos 70 deles compareçam à cidade suíça.   

Confira alguns dos principais momentos do Fórum: - Embate entre Trump, Merkel e Macron: Sem sombra de dúvidas, um dos principais pontos da edição 48 do Fórum serão os "embates" entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e dos discursos da chanceler alemã, Angela Merkel, e do presidente francês, Emmanuel Macron.   

Merkel e Macron discursam no dia 24 de janeiro e devem pontuar suas falas em defesa da União Europeia, da globalização e dos avanços sociais. Por sua vez, Trump vai à tribuna no dia 26 e deve focar seu discurso nas críticas ao comércio mundial e no reforço das fronteiras, mantendo sua postura avessa aos grandes acordos internacionais.   

Também farão discursos no evento a premier britânica, Theresa May, que vive um momento turbulento com a saída de seu país da União Europeia, o Brexit, e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau. Todos devem ser um contraponto a Trump.   

Já o Brasil terá seu presidente no evento, Michel Temer, pela primeira vez em quatro anos.   

- Premiação a artistas: Neste ano, a 24ª edição do Crystal Awards premiará a atriz Cate Blanchett, o cantor Elton John e o ator Shahrukh Khan. O prêmio é dado para reconhecer os feitos realizados por artistas do mundo todo que são "comprometidos em melhorar o mundo".   

- Fake News, Assédio e Bitcoins: Com a proposta de ir além das políticas de governo, entre as mais de 400 sessões paralelas do evento, serão debatidos temas da atualidade mundial, como o avanço das chamadas "fake news", as notícias falsas criadas propositalmente para afetar de maneira política a sociedade mundial.   

Serão debatidas as utilizações desse tipo de "recurso" para afetar a opinião das pessoas, como ocorreu no caso do "Brexit" ou na eleição de Donald Trump em 2016.   

Outro assunto atual serão as denúncias de assédio e abusos sexuais contra as mulheres. Com o gancho do movimento "Me Too", que mostrou os abusos na indústria do cinema de Hollywood, elas estarão na pauta também com os assédios constatados em todos os setores produtivos. Para a organização, chegou-se ao "ponto de virada" na relação com as mulheres de todo o mundo.   

Já na parte econômica, o assunto escolhido foram as novas tecnologias nos pagamentos e o uso de criptomoedas. Apesar do Bitcoin ser o mais conhecido do mundo, há dezenas de outras iniciativas similares que tem mexido com a maneira com que o mercado lida com investimentos.   

- 4ª Revolução Industrial: Assim como aconteceu em 2017, a chamada "Quarta Revolução Industrial" estará na pauta, com os debates sobre como os avanços tecnológicos afetam os sistemas de produção em todo o mundo - e todos os efeitos positivos e negativos que isso trará para a sociedade.   

Também citando o caso das "fake news", mas de outro ângulo, mais tecnológico, o Fórum propõe um debate sobre como o uso exacerbado das redes sociais também estão modificando a sociedade seja nos quesitos econômicos ou em mudanças de visão política.   

Além disso, o evento debaterá sobre o temor - cada vez maior - de que a Inteligência Artificial (AI) irá tomar o lugar dos humanos no mercado de trabalho. - Saúde: Outra pauta do evento será sobre como os riscos para a saúde das pessoas e a falência de um sistema de proteção para elas está pressionando o desenvolvimento dos países - seja entre os mais ricos ou pobres. O grupo quer debater sobre o uso da tecnologia para ajudar a desenvolver os centros médicos das regiões mais pobres e a importância da ciência para ajudar a saúde pública com políticas de governo.   

De acordo com a entidade, os cinco maiores riscos para a saúde das pessoas nos próximos 10 anos serão o uso de armas de destruição em massa, eventos climáticos extremos, desastres naturais, falência da adaptação às mudanças climáticas e crise da água. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos