Condenação de Lula no TRF-4 tem repercussão internacional

SÃO PAULO, 24 JAN (ANSA) - A decisão unânime dos desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, em manter a condenação e ampliar a pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex em Guarujá (SP) ganhou as capas dos principais jornais do mundo nesta quarta-feira (24).   


O jornal italiano "Corriere della Sera" ressalta que a condenação do "candidato favorito" para as próximas eleições presidenciais é "considerada um golpe". Já a publicação "La Stampa" garante queo julgamento pode "marcar o fim antecipado da longa carreira de Lula".   


Por sua vez, o jornal britânico "The Guardian" afirma que a decisão "complica seus planos para concorrer a um terceiro mandato e marca uma extraordinária mudança de sorte para o líder mais popular da história brasileira e moderna".   


Segundo a publicação britânica, "a decisão significa que Lula está legalmente inelegível nas eleições de outubro",mas "poucos observadores acreditam que o ex-presidente será preso".   


O periódico espanhol "El país" reforça que a condenação do ex-chefe de Estado brasileiro por corrupção "compromete as aspirações do político de esquerda para um novo mandato nas eleições presidenciais". Além disso, o jornal lembra que Lula "pode recorrer para adiar a execução e ganhar tempo numa tentativa de chegar em eleições em que todas as pesquisas o colocam como o grande favorito".   


No diário econômico britânico "Financial Times", a condenação de Lula é tida como uma boa notícia para o mercado financeiro. "Os ativos brasileiros, que já estavam se recuperando muito antes da decisão, ampliaram seus ganhos nas notícias".   


O site argentino "El Clarín" afirma que o processo pode durar vários meses, já que "Lula não será detido até que sua defesa esgote todos os recursos de apelação".   


O mais importante jornal norte-americano, "The New York Times", ressalta que a decisão é um "golpe significativo" na missão de Lula de conquistar seu terceiro mandato. "A decisão foi uma vitória para os promotores no que pode ser o caso de maiores proporções no confronto entre o Poder Judiciário brasileiro e a elite política. Os promotores têm retratado o Sr.   


da Silva, que também é acusado em outros seis casos de corrupção, como um elemento fundamental do sistema político endemicamente corrupto do Brasil", analisa a publicação.   


Já a rede pública britânica "BBC" noticia que a pena do antecessor de Dilma Rousseff foi aumentada para 12 anos e um mês, enquanto que a agência Al Jazeera, sediada no Catar, disse que a medida "deve exacerbar as tensões sociais no Brasil, que nos anos anteriores foi abalado por crises política, econômica e institucional".   


Por fim, o francês "Le Monde" afirma que "o pai dos pobres", uma "figura mítica da política brasileira" foi declarado culpado. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos