Em nota, PT reafirma Lula candidato e denuncia 'farsa'

SÃO PAULO, 24 JAN (ANSA) - Por meio de uma nota oficial, o Partido dos Trabalhadores (PT) acusou os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de combinarem seus votos no julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.   


O comunicado é assinado pela mandatária do PT, senadora Gleisi Hoffmann, e também reafirma Lula como candidato do partido nas eleições presidenciais de 2018. "O dia 24 de janeiro de 2018 marca o início de mais uma jornada do povo brasileiro em defesa da democracia e do direito inalienável de votar em Lula para presidente da República", diz a nota.   


Chamando o processo de "farsa" com votos "claramente combinados", o texto acusa "atores do sistema judicial" de participarem de um plano para "tirar Lula do processo eleitoral". "São os mesmos setores que promoveram o golpe do impeachment em 2016 e, desde então, vêm dilapidando o patrimônio nacional, entregando nossas riquezas e abrindo mão da soberania nacional, retirando direitos dos trabalhadores e destruindo os programas sociais que beneficiam o povo", afirma o partido.   


Segundo o PT, a candidatura de Lula ao Planalto será confirmada na convenção partidária e registrada em 15 de agosto. "Se pensam que história termina com a decisão de hoje, estão muito enganados, porque não nos rendemos diante da injustiça", diz o comunicado. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos