Após novo atentado, Colômbia suspende diálogo de paz com ELN

SÃO PAULO, 30 JAN (ANSA) - Após ataques a bomba durante o fim de semana na cidade de Barranquilla, o governo da Colômbia optou por suspender as negociações de paz com o Exército de Libertação Nacional (ELN). O anúncio foi feito pelo presidente, Juan Manuel Santos, durante um evento na cidade de Palma, nesta segunda-feira (29).   

"Tomei a decisão de suspender o quinto ciclo de negociações que estava previsto para os próximos dias até que haja coerência entre as palavras do ELN e suas ações", disse o mandatário. "A minha paciência e a paciência do povo têm limites", completou.   

Em 27 de janeiro, ao menos cinco policiais morreram e outros 20 ficaram feridos em um ataque a uma delegacia do bairro San José, em Barranquilla. O ELN reivindicou a autoria do atentado. As negociações oficiais de paz com o ELN tiveram início em fevereiro de 2017, no Equador. Os embates entre o governo e o grupo se estendem por mais de meia século e já deixaram mais de 220 mil mortos.   

No começo de janeiro, a Colômbia cancelou a retomada das negociações - marcadas para ocorrer em 10 de janeiro, no Equador - após a detonação de um oleoduto em Arauca, em outro ataque de autoria do grupo. O ELN é o segundo maior grupo guerrilheiro do país, atrás apenas das "Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia", que chegaram a um acordo de paz e agora levam o nome de "Força Alternativa Revolucionária Comum" (FARC). (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos